Federação dos Trabalhadores na agricultura no Rio Grande do Sul

Informativo

INFORMATIVO N° 1.407

 


Informativo Fetag e Sindicatos dos Trabalhadores Rurais.

 

Um programa da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul e dos 320 Sindicatos filiados. Transmitido em todo o Estado com informações para o trabalhador e a trabalhadora rural.

 

 



ACESSE AS REDES SOCIAIS DA FETAG-RS 

 

 

Confira as notícias atualizadas no Facebook, Instagram e Site oficial da federação!Fique atento a tudo o que acontece!

 

 

 


FETAG-RS REALIZA ELEIÇÃO PARA DIRETORIA 2020-2024

 

 

Seguindo seu estatuto interno, que prevê eleições a cada quatro anos, a FETAG-RS realiza sua eleição para a diretoria 2020-2024 no próximo dia 14 de janeiro, na sede da federação, em Porto Alegre. 

 
Tendo uma única chapa inscrita, o presidente Carlos Joel da Silva, irá para sua reeleição. 

 
No pleito do dia 14 de janeiro, 202 sindicatos estão aptos para a votação. Além do presidente, serão eleitos vice-presidentes, tesoureiros, secretário-geral, secretários, coordenação estadual de mulheres, suplentes e conselho fiscal e conselho fiscal suplente, totalizando 26 cargos. A indicação dos nomes respeita a paridade, representação de jovens e de aposentados, conforme decisões congressuais da FETAG-RS.

 
A primeira chamada da eleição está marcada para as 8h e a segunda para as 9h, sendo que as urnas ficarão abertas até as 13h. 
Atendendo a um pedido dos(as) Coordenadores(as) Regionais, haverá uma palestra motivacional ministrada pelo palestrante Gilbert Wiesel, que terá início as 10h e 30min. Ele abordará temas como trabalho em equipe, liderança, autoestima, organização sindical e cooperativismo.

 

 

 

 
FETAG-RS ACIONA OS GOVERNOS FEDERAL E ESTADUAL EM VIRTUDE DA ESTIAGEM

 

Preocupada com a estiagem que assola o Rio Grande do Sul, a FETAG-RS encaminhou ofício endereçado ao Presidente da República, Jair Bolsonaro; a Ministra da Agricultura, Teresa Cristina; bem como ao Governador do Estado, Eduardo Leite; e ao secretário estadual da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural, Covatti Filho, informando a gravidade da situação no estado e pedindo atenção especial aos agricultores e as agricultoras familiares. 

 

De acordo com o presidente da FETAG-RS, Carlos Joel da Silva,  “a situação é muito grave. Soja, milho e tabaco foram seriamente afetados. Lavouras já foram perdidas”. Para Joel, “os agricultores devem solicitar junto aos agentes financeiros o pedido do Proagro. Em caso de dúvidas, os sindicatos dos trabalhadores rurais dos municípios estão a disposição para prestar os devidos esclarecimentos”.

 

Em conversa com o secretário da agricultura Covatti Filho, Carlos Joel solicitou a criação de um grupo de acompanhamento para tratar a situação e discutir soluções que amenizem os prejuízos dos agricultores e das agricultoras. 

 

Na próxima quinta-feira (09), às 14hs, haverá uma reunião na sede da Famurs com todas as entidades do setor e o Governo do Estado para debater e encaminhar possíveis soluções para o problema.

 

 




AO LONGO DO 1º SEMESTRE DE 2020, MILHO DEVE ALCANÇAR PREÇOS RECORDES E SOJA CONSOLIDARÁ R$ 90

 


Após o mercado de grãos cair na última sexta-feira, devido ao ataque dos Estados Unidos que matou o comandante iraniano Qasem Soleimani, nesta segunda-feira (06) a soja teve leve reação. Com contratos sendo negociados a US$ 9,32 (+2,25) para janeiro e US$ 9,44 (+3,25) para março, a perspectiva é que o mercado da oleaginosa se mantenha altista.

 
Para Carlos Cogo, analista da Cogo Inteligência em Agronegócio, tanto a demanada interna brasileira quanto a procura internacional deverão manter os preços da soja na base de R$ 90 ao longo do próximo semestre. Nem mesmo a assinatura do primeira fase do acordo entre Estados Unidos e China deve abalar esse patamar, já que outros fatores irão contrapor uma possível migração da demanda chinesa para a soja americana.

 
Cogo cita que a porcentagem de soja no biodiesel e a exportação de produtos de alto valor agregado, como é o caso das proteínas animais, irão auxiliar na manutenção de preços remuneradores para a soja no Brasil. Além disso, com os estoques de passagem baixos, até mesmo uma safra recorde não refletiria em grandes quedas de preços.

 
Para o milho, que nesta segunda foi negociado com leves quedas, o cenário também deve ser altista. Com a estiagem no Rio Grande do Sul, principal produtor de milho verão, a 1ª safra brasileira do grão já se encontra comprometida. Já para o milho de segunda safra, que deverá ser plantada fora da janela ideal, há muitas variáveis ainda a serem consideradas com relação à produção brasileira.

 
De qualquer forma, com os estoques também baixos devido ao alto volume de exportação em 2019, as negociações de milho serão apertadas em todo o primeiro semestre, o que deve garantir valores acima de R$ 50, com possibilidade de testar os R$ 60, recorde para a commodity. 


 
Por: Aleksander Horta e Ericson Cunha

Fonte: Notícias Agrícolas





CONTRIBUIÇÃO SINDICAL É REAJUSTADA

 

 
A Contribuição Sindical dos(as) Agricultores(as) Familiares é realizada para o Sistema Confederativo – CONTAG – FETAG e Sindicato dos Trabalhadores Rurais. Ela é devida por toda a categoria, trabalhadores(as) ou empregados(as). Ou seja, todos aqueles que são trabalhadores rurais e não possuem empregados e exercem a atividade rural, individualmente ou em regime de economia familiar, sendo proprietário, arrendatário, parceiro, meeiro ou comodatário.


Para a tesoureira-geral da FETAG-RS, Elisete Hintz, a Contribuição Sindical é uma das formas de manter o Movimento Sindical atuante, forte e em constante luta para assegurar o direito dos agricultores familiares. Elisete reitera que embora a Contribuição seja facultativa, é uma obrigação dos agricultores(as), pois quando da conquista de um benefício para a classe todos recebem as melhorias.


O valor da Contribuição Sindical da Agricultura Familiar referente ao exercício 2020 é de R$ 35,00 (trinta e cinco reais) por membro do grupo familiar.