Federação dos Trabalhadores na agricultura no Rio Grande do Sul

Informativo

INFORMATIVO N° 1.415

Informativo Fetag e Sindicatos dos Trabalhadores Rurais. Um programa da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul e dos 319 Sindicatos filiados. Transmitido em todo o Estado com informações para o trabalhador e a trabalhadora rural.

 

A FETAG-RS TAMBÉM ESTÁ NO INSTAGRAM

 Siga nosso perfil e fique atento a tudo o que acontece no Movimento Sindical Gaúcho! E não esqueça que todas as notícias também estão em nossa Página oficial no Facebook!
              

 

 

VEM AÍ O 10º GRITO DE ALERTA MISSÕES FRONTEIRA NOROESTE                     

 A FETAG-RS, em conjunto com a Macro Missões Fronteira Noroeste e Central, já iniciou os preparativos para a edição 2020 do Grito de Alerta Missões Fronteira Noroeste, que chega ao seu décimo ano, e será realizado nos dias 23 e 24 de abril, em Ijuí.               

Para este ano, o Grito terá como temas principais a luta por políticas estruturantes para o meio rural, o Programa Nacional de Crédito Fundiário, a redução de juros no PRONAF, e a retomada Programa Nacional de Habitação Rural. O Grito também se manifestará contra a proposta do Governo Federal que prevê a extinção de pequenos municípios e exigirá garantia de renda para o agricultor.               

Para o dia 23 de abril, no salão da Paróquia Cristo Rei, estão previstas atividades em alusão a Década da Agricultura Familiar, que contará com seminário e palestras. De acordo com a organização do evento, os palestrantes deverão ser confirmados nos próximos dias.               

No dia seguinte, 24 de abril, a caminhada sairá do Parque de Exposições do município e percorrerá as ruas até a Praça do Imigrante, no centro de Ijuí.               

O Grito de Alerta Missões Fronteira Noroeste, que tem o apoio da FETAR, é considerado um pontapé inicial do Grito da Terra Estadual.                                   

 

 

 

CONTAG realiza Oficina Nacional sobre Procedimentos Administrativos, Financeiros e Contábeis 

 
Desta segunda-feira(10) a quarta-feira(12), a Confederação Nacional dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares (CONTAG), realiza a Oficina Nacional sobre Procedimentos Administrativos, Financeiros e Contábeis, em Brasília/DF, com a presença de 90 participantes, entre dirigentes, assessores(as) e contadores(as) das 27 Federações filiadas à Confederação.

A Oficina tem o objetivo de construir estratégias de atuação político-sindical para o fortalecimento da sustentabilidade político-financeira do Movimento Sindical dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (MSTTR), considerando os resultados das oficinas de base, os indicativos da 5ª Plenária Nacional dos Trabalhadores(as) Rurais, as ações definidas pela Secretaria de Finanças e Administração e as linhas de ações estratégicas definidas pela Diretoria da CONTAG para 2020.       

“Vemos a Oficina como uma reunião de trabalho, de avaliação e de pensarmos de forma coletiva qual a melhor estratégia político-financeira para a nossa organização sindical. Temos certeza que apesar do momento de crise que atravessa o país e consequentemente a maioria das organizações sindicais e sociais, com muita esperança iremos superar as atuais dificuldades e encontrar as melhores soluções”, disse na abertura da Oficina, o secretário de Finanças e Administração da CONTAG, Juraci Souto.              

Representando a FETAG-RS estão participando a Tesoureira-Geral Elisete Hintz, o futuro tesoureiro Agnaldo Barcelos, o contador Cleber Muller e a assessora contábil Neusa kappaun.
 

Fonte: Comunicação CONTAG- Barack Fernandes                     

 

 

 

CONAB: MAIS UM RECORDE HISTÓRICO MARCA A SAFRA DE GRÃOS COM 251 MILHÕES DE TONELADAS       

A produção de grãos no Brasil novamente supera as previsões de boa safra, como mostram os resultados do quinto levantamento realizado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). As lavouras de soja e milho, principalmente, impulsionam o volume total de grãos para mais um recorde histórico, com estimativa de 251,1 milhões de toneladas, uma variação de 3,8% sobre a safra passada e ganho de 9,1 milhões de toneladas. O anúncio foi feito nesta terça-feira (11), em Brasília.

 
Para área total, espera-se um incremento de 2,5%, alcançando cerca de 64,8 milhões de hectares e acréscimo de 1,6 milhão de ha. O que marca esta previsão são as boas condições climáticas que favorecem a recuperação das lavouras, abatidas na última temporada pela estiagem nos estados de maior produção. As culturas de primeira safra estão respondendo por 45,6 mil hectares, enquanto que as de segunda, terceira e de inverno, por 19,3 mil.

 
As lavouras de soja, que ocupam uma área 2,6% maior, começam a ser colhidas com uma boa produtividade, mantendo a tendência de crescimento das últimas safras. A produção estimada é de 123,2 milhões de toneladas da oleaginosa, o que também representa um recorde na série histórica, graças à melhoria da distribuição das chuvas que sacrificaram a semeadura no início do plantio de muitos estados. Em Mato Grosso, maior produtor nacional, a colheita já está 25% finalizada, enquanto que em Mato Grosso do Sul e Goiás está no estágio inicial.

 
A produção do milho de primeira, segunda e terceiras safras devem alcançar algo próximo a 100 milhões de toneladas, com um crescimento de 0,4%. A estimativa de área do milho primeira safra é de 4,25 milhões de hectares, 3,4% maior que o da safra 2018/19. O impulso deve-se às boas cotações do cereal no mercado. No Rio Grande do Sul, apesar do aumento de área, o rendimento deverá ser 1,8% menor, devido à estiagem que atinge a região. Na segunda safra, Mato Grosso já adiantou 20% da semeadura, bem à frente de outros estados. A expectativa é de um bom crescimento de área, graças à rentabilidade produtiva e às boas condições do tempo.

 
Com relação ao algodão, que aproveita o espaço deixado pela colheita da soja, a expectativa é de um crescimento de 5,3% na área, chegando a cerca de 1,7 milhão de hectares. A produção também bate recorde da série histórica, alcançando 2,82 milhões de toneladas de pluma. Por sua vez, o caroço chega a 4,23 milhões de toneladas, com 1,6% de crescimento frente a safra passada.

 
O arroz entra na relação de beneficiados pelas condições climáticas, inclusive nas lavouras do Rio Grande do Sul, estado que produz mais de 80% do consumo nacional, com um aumento de 0,6% e produção de 10,51 milhões de toneladas. Por outro lado, o feijão primeira safra perde 0,1% na área, alcançando 921,4 mil hectares, mas ganha 9,4% na produção com a ajuda da produtividade. A produção deve superar 1 milhão de toneladas. A segunda safra, que está em início de cultivo, deve ocupar a mesma área da safra passada de 1,4 milhão de hectares.              

Fonte: CONAB              

 

 

CONTRIBUIÇÃO SINDICAL É REAJUSTADA


A Contribuição Sindical dos(as) Agricultores(as) Familiares é realizada para o Sistema Confederativo – CONTAG – FETAG e Sindicato dos Trabalhadores Rurais. Ela é devida por toda a categoria, trabalhadores(as) ou empregados(as). Ou seja, todos aqueles que são trabalhadores rurais e não possuem empregados e exercem a atividade rural, individualmente ou em regime de economia familiar, sendo proprietário, arrendatário, parceiro, meeiro ou comodatário.


Para a tesoureira-geral da FETAG-RS, Elisete Hintz, a Contribuição Sindical é uma das formas de manter o Movimento Sindical atuante, forte e em constante luta para assegurar o direito dos agricultores familiares. Elisete reitera que embora a Contribuição seja facultativa, é uma obrigação dos agricultores(as), pois quando da conquista de um benefício para a classe todos recebem as melhorias.


O valor da Contribuição Sindical da Agricultura Familiar referente ao exercício 2020 é de R$ 35,00 (trinta e cinco reais) por membro do grupo familiar.