Federação dos Trabalhadores na agricultura no Rio Grande do Sul

Notícias

Entidades encaminham pedido de investigação sobre ingresso de leite do Uruguai

     O vice-presidente da FETAG, Nestor Bonfanti, participou ontem (4) de reunião com o secretário da Agricultura, Pecuária e Irrigação, Ernani Polo, e com Jorge Rodrigues, diretor da Farsul, para tratar da importação de derivados de leite do Uruguai. A SEAPI elaborou um ofício, que foi assinado pela FETAG e Farsul, e será encaminhado nos próximos dias ao Departamento de Defesa Comercial (DECOM) do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).
     No documento, as entidades solicitam a abertura de investigação sobre uma provável prática ilegal de comércio de produtos derivados do leite oriundos do Uruguai. Levantamentos realizados com dados oficiais de produção, consumo interno e exportação para o Brasil de leite e derivados, apontam para um déficit de mais de 52 milhões de litros no Uruguai, em relação ao montante oficialmente revelado da totalidade da produção realizada no país vizinho, que é de 1.775.024.809 litros (dados de 2016/Banco Mundial).
     De acordo com o ofício, este seria o indício de que estaria ocorrendo uma “triangulação”, ou seja, o leite exportado não seria produzido pelo Uruguai, mas por um terceiro país. “A iniciativa que tivemos de elaborar este documento e buscar a assinatura das federações, que representam os produtores, tem como objetivo encaminhar uma realidade que hoje é muito presente e que tem provocado dificuldades na produção de leite gaúcha e brasileira, tendo em vista uma desigualdade verificada no ingresso de importados. Estamos pedindo essa abertura de investigação como uma forma de criar uma proteção à cadeia produtora de leite do Rio Grande do Sul”, disse o secretário Ernani Polo.
     Bonfanti, por sua vez, acredita que esta ação vai favorecer a política leiteira do Rio Grande do Sul e dar suporte para a retomada de crescimento deste setor. “O Estado vem perdendo muitos produtores de leite, 22% deles deixaram de produzir nos últimos dois anos e esta ação pode auxiliá-los ”, ressalta. Rodrigues disse que esse fato vem se refletir no mercado gaúcho, porque o maior volume de exportações do Uruguai é para o Brasil, especialmente via Rio Grande do Sul.

Informações: SEAPI/Foto: Fernando Dias

Assessoria de Imprensa – 05/10/2017 – Luiz Boaz (51) 9 9314-5699