Federação dos Trabalhadores na agricultura no Rio Grande do Sul

Notícias

Plenária Estadual da CONTAG é realizada em Porto Alegre

Nesta terça-feira (8), a sede da Federação Estadual dos Trabalhadores na Agricultura (FETAG-RS) recebeu evento de preparação para a 5ª Plenária Nacional de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais, da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura (CONTAG).

 

A Plenária Estadual da CONTAG está sendo realizada em todos os estados brasileiros, visando a elaboração das pautas que serão levadas para a Plenária Nacional, que será realizada em Brasília nos dias 28 e 29 de novembro. Os eventos estaduais estão organizando as pautas que serão debatidas na capital federal.

 

Na reunião de hoje, 4 delegados de cada uma das 23 regionais sindicais estiveram presentes, participando de discussões e de atividades que formularam as pautas consideradas como fundamentais para seguirem sendo motivo de lutas por parte da CONTAG.

 

Presente no evento, o presidente da CONTAG, Aristides Santos, falou sobre a conjuntura política atual do Brasil, citando a redução de direitos dos trabalhadores e das trabalhadoras e as decisões econômicas que estão sendo tomadas pelo governo. “Lutamos muito durante a aprovação da reforma da previdência para manter nossos direitos”. Ainda de acordo com Aristides, outras lutas ainda virão, como na Reforma Tributária e na Reforma Sindical, “que poderão ser prejudiciais”.

 

Ao abrir o evento, o presidente da FETAG-RS, Carlos Joel da Silva, parabenizou a CONTAG pelo trabalho realizado na articulação contra a retirada de direitos pela reforma da previdência, além de fazer um breve relato sobre a difícil situação econômica do Rio Grande do Sul. “Nosso Estado está passando por dificuldades financeiras, sem dinheiro para programas importantes que afetam diretamente a agricultura familiar. Educação e saúde também carecem de investimentos”. Joel também lembrou dos problemas nas cadeias do leite e do arroz, que passam por grandes dificuldades, e do fechamento de acessos secundários em rodovias cuja administração foi entregue para a iniciativa privada.

 

Questões relacionadas a comunicação e divulgação dos atos do movimento sindical, educação no campo, crédito rural e formação de dirigentes sindicais foram citadas pelos participantes.