Mulheres Trabalhadoras Rurais

“Não acredito que existam qualidades, valores, modos de vida especificamente femininos: seria admitir a existência de uma natureza feminina, quer dizer, aderir a um mito inventado pelos homens para prender as mulheres na sua condição de oprimidas. Não se trata para a mulher de se afirmar como mulher, mas de tornarem-se seres humanos na sua integridade.”   Simone de Beauvoir

 

A Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Rio Grande do Sul – FETAG/RS, junto com a Comissão Estadual de Mulheres Trabalhadoras, composta por vinte e três (23) regionais com coordenadoras e vice coordenadoras, têm como objetivos:

  • Organizar e sindicalizar a mulher trabalhadora rural (pecuarista familiar, assentadas e quilombolas) dentro do MSTTR;
  • Lutar por políticas públicas e pelos direitos específicos das trabalhadoras rurais (pecuarista familiar, assentadas e quilombolas);
  • Lutar pelos direitos da Agricultura Familiar;
  • Dar visibilidade e despertar para sua importância na sociedade, no Movimento Sindical, na política, fortalecendo assim a autoestima da mulher trabalhadora rural.

História do 8 de março

No Dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte-americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.

A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano.

Porém, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o “Dia Internacional da Mulher”, em homenagem as mulheres que morreram na fábrica em 1857. Mas somente no ano de 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU (Organização das Nações Unidas).

Objetivo da Data

Ao ser criada esta data, não se pretendia apenas comemorar. Na maioria dos países, realizam-se conferências, debates e reuniões cujo objetivo é discutir o papel da mulher na sociedade atual. O esforço é para tentar diminuir e, quem sabe um dia terminar, com o preconceito e a desvalorização da mulher. Mesmo com todos os avanços, elas ainda sofrem, em muitos locais, com salários baixos, violência masculina, jornada excessiva de trabalho e desvantagens na carreira profissional. Muito foi conquistado, mas muito ainda há para ser modificado nesta história.

Conquistas das Mulheres Brasileiras

Podemos dizer que o dia 24 de fevereiro de 1932 foi um marco na história da mulher brasileira. Nesta data foi instituído o voto feminino. As mulheres conquistavam, depois de muitos anos de reivindicações e discussões, o direito de votar e serem eleitas para cargos no executivo e legislativo.

Marcos das Conquistas das Mulheres na História

  • 1788 – o político e filósofo francês Condorcet reivindica direitos de participação política, emprego e educação para as mulheres.
  • 1840 – Lucrécia Mott luta pela igualdade de direitos para mulheres e negros dos Estados Unidos.
  • 1859 – surge na Rússia, na cidade de São Petersburgo, um movimento de luta pelos direitos das mulheres.
  • 1862 – durante as eleições municipais, as mulheres podem votar pela primeira vez na Suécia.
  • 1865 – na Alemanha, Louise Otto, cria a Associação Geral das Mulheres Alemãs.
  • 1866 – No Reino Unido, o economista John S. Mill escreve exigindo o direito de voto para as mulheres inglesas
  • 1869 – é criada nos Estados Unidos a Associação Nacional para o Sufrágio das Mulheres
  • 1870 – Na França, as mulheres passam a ter acesso aos cursos de Medicina.
  • 1874 – criada no Japão a primeira escola normal para moças
  • 1878 – criada na Rússia uma Universidade Feminina
  • 1879 – Mulheres ganham o direito de cursar faculdade no Brasil
  • 1901 – o deputado francês René Viviani defende o direito de voto das mulheres
  • 1911 – Uma fábrica têxtil de Nova York sofre um incêndio e 130 operárias morrem carbonizadas
  • 1917 – Em 8 de março, 90 mil operárias participam do protesto “ Pão e Paz” na Rússia
  • 1918 – Apos anos de luta, do movimento Sufragista, mulheres conquistam o direito a voto na Inglaterra
  • 1932 – As mulheres conquistam o direito ao voto no Brasil, através da Constituição Federal
  • 1945 – Carta das Nações Unidas reconhece a igualdade entre homens e mulheres
  • 1960 – Criação e comercialização da pilula anticoncepcional e início da liberação feminina.
  • 2006 – Criação da Lei Maria da Penha, primeira a reconhecer e criar mecanismos para combater a violência doméstica
  • 2015 – Lei do Feminicídio classifica o assassinato de mulher por razões da condição do sexo feminino como crime hediondo

 

Resgate Histórico  

1963

Outubro fundação da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no RS – FETAG/RS;

Dezembro fundação da Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura – CONTAG.

 

1970

Criação de Escolas de Formação “Moças e Senhoras”.

 

1981

1ª Encontro Estadual de Viamão de Liderança – participação de 13 mulheres;

As regionais de Passo Fundo, Caxias do Sul, Santa Rosa,    Ijuí e a Grande Porto Alegre.

 

1982

2ª Encontro Estadual de Viamão de Liderança. Temas debatidos pelas mulheres do MSTR: sindicalismo e suas origens; direitos de sindicalização.

 

1983

3ª Encontro Estadual de Viamão de Liderança. Temas: Conscientização, organização e formação de lideranças femininas;

12 de agosto – Assassinato de Margarida Maria Alves – símbolo   de       luta das mulheres por terra, trabalho, igualdade, justiça e dignidade – Alagoa Grande – PB.

 

1984

4º Encontro Estadual de Viamão de Liderança. Temas: Formação de uma comissão de educação, encontros de 8 de março, organização do sem-terra, exigir mais dos deputados da região.

 

1985

I Encontro Estadual de Mulheres Trabalhadoras Rurais – 10 mil mulheres, Gigantinho Porto Alegre;

4º Congresso da CONTAG (participação de 48 mulheres), o RS foi    o Estado com maior número de mulheres;

Criação da Comissão Estadual de Mulheres Agricultoras do RS – CEMTR.  Representação de 12 Regionais;

Criação do Hino da Mulher Trabalhadora Rural do RS – Letra Rosa Tres “Num gesto sublime e honesto, sem distinção de raças e cores…”.

 

1986

1ª Encontro Regional de 8 de março – abaixo-assinado em prol da Previdência Social, reforma agrária, educação, justiça social e reconhecimento da Profissão;

1ª Mulher presidente do Sindicato de Trabalhadores Rurais de Casca, Sra: Rosa Maria Lorenzato Tres.

 

1987

II Encontro Estadual de Mulheres Trabalhadoras Rurais – 25 mil mulheres (bandeiras de luta: Discriminação, reconhecimento da profissão, reforma agrária, saúde e aposentadoria); Gigantinho – Porto Alegre;

1º Seminário Estadual organizado pelo CEMTR com a presença da CONTAG;

Criação do Conselho Estadual dos Direitos das Mulheres – CODIM– A FETAG fez parte com a companheira Sra: Dulce Schneider;

Lei 8.690 de 14/07/86 – No RS Reconhecimento com quem trabalha em regime de economia familiar (nome da mulher por extenso no bloco 15);

 

1988

Constituição Federal – Aposentadoria da Mulher Trabalhadora Rural, reconhecimento da profissão (Proposta do RS);

8 Encontros regionais atingindo 40 municípios – cerca de 80 mil trabalhadoras rurais;

1º Seminário Nacional de Trabalhadoras Rurais em Brasília-DF.

 

1989

III Encontro Estadual da Mulher Trabalhadora Rural – 30 mil mulheres – Gigantinho -Porto Alegre;

2º Seminário Nacional de Trabalhadoras Rurais em Brasília-DF;

1º Encontro Interestadual da Região Sul (marco da organização das Mulheres);

II Encontro Centro – Sul – Florianópolis – SC -delegação de 7 Estados;

1ª Tesoureira – Dulce Schneider – suplente – Maira Bottega – Primeiras mulheres a participar da diretoria da FETAG-RS.

 

1990

Encontros municipais priorizando “Participação da Mulher na Comunidade”;

Participação da CEMTR no seminário sobre “As Contradições no interior do movimento das Mulheres”;

Ano dedicado a formação de mulheres (Saúde da Mulher, Aposentadoria, Previdência Social, organização das mulheres, sindicalismo, socialismo, opressão da mulher e meios de comunicação e a mulher);

Criação e aprovação dos Regimentos dos: Coordenadores e das Comissões;

 

1991

Continuidade da Formação da CEMTR;

Mobilização intensa com a participação da mulher (direitos adquiridos, como aposentadoria aos 55 anos e salário-maternidade na CF de 1988);

5º Congresso da Contag – indicou a necessidade da criação do Projeto Alternativo do Desenvolvimento Rural e Sustentável (PADRS);

Maira Botega – eleita para suplência de diretoria da Contag;

Criação da Comissão Nacional de Mulheres Trabalhadoras Rurais.

 

1992

3º Seminário Nacional das Trabalhadoras Rurais- 45 mulheres do RS – Brasília -DF (Saúde da Mulher, Gênero e classe);

Autos sustentação do MSTR, que era a Contribuição Confederativa, destacando a importância da aposentadoria para a trabalhadora rural, e o que ela significa para o MSTR em termos de conquistas, e o recadastramento do talão de Produtor;

Mobilização Previdência Social – participação em massa das mulheres (ocupação do INSS);

CEMTR fez um estudo sobre o Estatuto Social da FETAG/RS, formas de Sociedade, Centrais Sindicais e Partidos Políticos;

Seminário sobre a Saúde da Mulher – março;

Conquista de espaço no MSTR , 4 mulheres na diretoria da FETAG/RS :

2ª Tesoureira : Dulce Berta Schneider;

Maria Helena Baumgartem – suplente (in memoria)

Maira Botega – suplente

Ana Hartmann – Conselho fiscal

 

1993

10 anos da Morte de Margarida Alves, nesta data teve uma manifestação em frente ao INSS, em Porto Alegre, contra a discriminação da mulher na Previdência Social em relação ao trabalho rural;

 

1994

Seminário Interestadual com o tema “Relações Humanas, entre homens e mulheres” com participação de homens e mulheres;

Encontro Estadual de Mulheres Dirigentes Sindicais, para mostrar a conquista das mulheres dentro do MSTR, pois antes só havia homens dirigentes. (propostas: direitos e deveres iguais, incentivo a sindicalização, luta para que a contribuição confederativa seja considerada como documento e encontros regionais);

O CEMTR realizou seminário sobre Saúde e dificuldades enfrentadas na família.

 

1995

Eventos de 8 de março com os temas (agrotóxicos, Política Agrícola, Organização, Educação, Saúde, Reforma Constitucional, Mercosul, Cidadania, Gênero e Classe, Delegacias de Mulher no interior do estado, Mudanças na Lei do Deficiente Físico);

6º Congresso Eleitoral da Contag – Aprovação da construção do Projeto Alternativo do Desenvolvimento Rural e Sustentável (PADRS);

Congresso Eleitoral da FETAG/RS – com duas mulheres eleitas como diretoras – Maria Helena Baumgartem (efetiva- 2ª Secretária e assumiu a função de coordenação Estadual das Mulheres Trabalhadoras Rurais) e Dulce Berta Schneider (Suplente).

 

1996

IV Encontro Estadual de Mulheres Trabalhadoras Rurais – 15 mil mulheres – Gigantinho – Porto Alegre;

II Encontro Estadual de Mulheres Dirigentes Sindicais (propostas: ampliação de recursos na agricultura, Formação com recursos do SENAR, EMBRAPA – pesquisa direcionada para pequenos produtores, conservação do solo e preservação meio ambiente, saúde, previdência e cooperativismo);

Foi criado o logo da Comissão de Mulheres.

 

1997

1ª Plenária Nacional de Mulheres Trabalhadoras Rurais com o tema: “Sem a participação da Mulher não há Desenvolvimento Rural” com objetivos: fortalecer a organização das mulheres, definir ações e lutas prioritárias para 97/98, discutir e aprofundar desenvolvimento rural e agricultura familiar, sobre a ótica de gênero)

Cotas de participação de 30% no 7º Congresso Nacional dos Trabalhadores Rurais da CONTAG;

Eventos de 8 de março em 10 regionais e mais de 70 municípios com os temas: saúde, deficientes físicos, aposentadoria por tempo de serviço e educação;

Destaque para oficinas sobre Saúde da Mulher e Saúde Alternativa;

Cursos de comunicação no feminino para visibilidade da mulher no MSTR.

 

1998

10 anos de reconhecimento da profissão de trabalhadora rural;

Lançamento da 1ª Edição da Revista da Mulher – Tema “Lutamos por igualdade de direitos com histórico dos 10 últimos anos;

7º Congresso Nacional da Contag –   aprovou o PADRS, com um capítulo específico intitulado: RUMO AO DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL, através de uma ampla e massiva reforma agrária e da valorização e fortalecimento da agricultura familiar;

Contag com duas mulheres eleitas como diretoras – Maira Bottega e Hilda Rubin;

Um “T” na sigla do movimento, dando visibilidade a mulher – MSTTR;

 

1999

Movimento de Mulheres Urbanas e Rurais – Montevidéu – Uruguai – participação de 10 mulheres;

2ª Edição – Revista das Mulheres – Tema “Construindo Cidadania no Meio Rural”;

Década de 90, foi aprovado em Assembleia Geral que a Sra. Margarida Breitembach, do STR de Ajuricaba e a Sra. Ana Maria Miola, do STR de Machadinho, representassem a FETAG na Comissão Nacional de Mulheres Trabalhadoras Rurais.

 

2000

1º Marcha das Margaridas – Brasília -DF – 20 mil mulheres e 600 do RS – Lema: 2000 Razões para marchar contra a fome, a pobreza e a violência sexista;

3ª Edição   – Revista das Mulheres – Tema “Sindicato Ferramenta de luta”;

Confecção da Bandeira do CEMTR;

V Encontro Estadual de Mulheres Trabalhadoras Rurais – 20 mil mulheres – Gigantinho – Porto Alegre

 

2001

4ª Edição – Revista das Mulheres – Tema: “Construindo o desenvolvimento Rural Sustentável”;

III Encontro Estadual de Mulheres Dirigentes Sindicais. 130 mulheres;

 

2002

5ª Edição – Revista das Mulheres – Tema: “30% – Nossa parte de partida”;

Participação Fórum Social Mundial – Porto Alegre -RS, no espaço “Fórum Social Mundial do Planeta Fêmea”;

 

2003

6ª edição – Revista das Mulheres – Tema: “Marcha das Margaridas”;

2ª Marcha das Margaridas – Brasília -DF – 40 mil mulheres e 500 RS; – Tema: “2003 Razões para Marchar contra a fome, pobreza e a violência sexista”;

1ª Coordenadora Estadual de Mulheres Trabalhadoras Rurais – Elisete Kronbauer Hintz.

 

2004

7ª Edição – Revista das Mulheres – Tema: “Rumo a Consolidação das nossas bases” – Mudança no layout da revista, com as regionais responsáveis pelos textos;

1ª Plenária Estadual de Mulheres;

 

2005

8ª Edição – Revista das Mulheres – Tema:” As Diretrizes da Plenária Estadual das Mulheres Trabalhadoras Rurais”;

9º Congresso Nacional da Contag – Projeto passou a ser denominado: Projeto Alternativo de Desenvolvimento Rural Sustentável e Solidário – PADRSS.

 

2006

9ª Edição – Revista das Mulheres – Tema: “Mulheres Presentes no fortalecimento do MSSTR”;

IV Encontro Estadual de Mulheres Dirigentes Sindicais” – 327 mulheres.

 

2007

10ª Edição – Revista das Mulheres – Tema: “Marcha das Margaridas: Consolidando Conquistas e Buscando direito”;

2ª Coordenadora Estadual de Mulheres Trabalhadoras Rurais – Lérida Pivoto Pavanelo;

3ª Marcha das Margaridas – Brasília -DF – 40 mil mulheres e 460 RS; – Tema: “2007 Razões para Marchar contra a fome, pobreza e a violência sexista”.

 

2008

11ª Edição – Revista das Mulheres – Tema: “Revitalizar a história através da Sindicalização”;

II Plenária Estadual de Mulheres Trabalhadoras Rurais;

IV Plenária Nacional de Mulheres Trabalhadoras Rurais – Luziânia – GO – 50 Mulheres RS;

 

2009

12ª Edição – Revista das Mulheres – Tema “1998 -2008 – A Consolidação da profissão de trabalhadora rural é realidade”;

 

2010

13ª Edição – Revista das Mulheres – Tema: “Qualidade de vida no meio rural, um desafio para as mulheres”;

V Encontro Estadual de Mulheres Dirigentes Sindicais – 340 mulheres;

 

2011

14ª Edição – Revista das Mulheres – Tema: “Desenvolvimento Sustentável, justiça, autonomia, igualdade e liberdade”;

4ª Marcha das Margaridas – Brasília – DF – 72 mil mulheres – 400 RS. Tema: “2011 razões pra marchar para o desenvolvimento Sustentável com justiça, autonomia, igualdade e liberdade”;

3ª Coordenadora Estadual de Mulheres Trabalhadoras Rurais – Inque Schneider;

 

2012

15ª Edição – Revista das Mulheres – Tema” Lutas, desafios e conquistas das Mulheres Trabalhadoras Rurais nos últimos 25 anos”;

VI Encontro Estadual de Mulheres Dirigentes Sindicais – 394 mulheres;

V Plenária Nacional de Mulheres Trabalhadoras Rurais – Luziânia-GO – 25 mulheres do RS;

Integração da CEMTR com a Comissão de Saúde e Educação do Campo.

 

2013

16ª Edição – Revista das Mulheres – Tema: “Construindo a história e conquistando espaço na caminhada dos 50 anos da FETAG”

11º Congresso Nacional da Contag – 50 anos de existência – Aprovação por unanimidade a paridade participativa de gênero em todas as instâncias do MSTTR.

 

2014

17ª Edição – Revista das Mulheres – Tema: “Vivendo com Saúde e qualidade de Vida”.

 

2015

18ª Edição – Revista das Mulheres – Tema: “Marcha das Margaridas, sua história, conquistas e desafios”.

Março a maio – Caravana da Marcha das Margaridas – 23 regionais – 2000 mil trabalhadoras rurais;

5ª Marcha das Margaridas, em Brasília, com a participação de 100 mil mulheres, sendo 500 do Rio Grande do Sul.

 

2016

19ª Edição – Revista das Mulheres – Tema: Mulheres, saberes e práticas”;

4ª Coordenadora Estadual de Mulheres Trabalhadoras Rurais – Lérida Pivoto Pavanelo;

VI Plenária Nacional de Mulheres Trabalhadoras Rurais – Brasília -DF – 25 mulheres RS – lema: “Margaridas trabalhadoras rurais por paridade rumo à igualdade – a luta é todo dia!”.

 

2017

ENFOC MULHER – 4 Módulos Itinerante, Santa Maria, Ijuí, Passo Fundo e Porto Alegre. Participação de 43 mulheres de todo o estado. Com os objetivos de:

Nivelamento dos saberes e ações entre a Comissão Estadual de Mulheres;

Momento de Formação Pessoal e Coletiva;

Contribuir com a organização da produção e comercialização no espaço onde atuo;

Compartilhar a responsabilidade com a Regional, Sindicato e MSTTR.

 

2018

Folder Violência Contra a Mulher – Desperte para esta Causa – julho;

Folder Outubro Rosa e novembro Azul;

Caravana das Margaridas Contag/FETAG-RS – outubro – Participação de 50 mulheres – Porto Alegre;

I Enfoc de Mulher Inter Regional – participação de 45 mulheres – Regional Sino Serra, Vale do Cai e Litoral – Itinerante;

Caravana das Margaridas – Regional Passo Fundo, Médio e Alto Uruguai e Três Passos. 125 participantes – dezembro;

Reunião da CEMTR – fevereiro, maio, julho e dezembro.

 

2019

Continuação Caravana das Margaridas – Regionais: Vale do Rio Pardo e Baixo Jacuí, Vale do Taquari, Vale do Caí, Camaquã, Missões I, Missões II, Ijuí, Alto Jacuí, Centro Serra e Vale do Rio Pardo, Quarta Colônia, Serra do Alto Taquari, Sul, Fronteira, Santa Maria, Vale do Rio Sino Serra e Litoral, que contou com 800 participantes;

Fevereiro – Videoconferência referente ao 8 de março;

Março – 19 Regionais fizeram uma manifestação no dia 8 de março, levantando a bandeira da Previdência Social e Contra a Violência da Mulher. Durante o mês as outras 4 regionais fizeram eventos referentes a 8 de março. Fechando um público de 80 mil pessoas;

Agosto – 6ª Marcha das Margaridas – Brasília -DF – Por um Brasil com Soberania Popular, Democracia, Justiça e livre de Violência. RS com caravana de 460 mulheres agricultoras, fechando o RS com mais de 500 Mulheres parceiras. 100 mil mulheres de todo o Brasil e 26 países;

Outubro – VII Encontro de Mulheres Dirigentes Sindicais- Porto Alegre – 320 participantes – Lema: Mulheres em Movimento – Ninguém Solta a Mão de Ninguém;

Reunião CEMTR – Fevereiro, Abril, Junho, Setembro, Dezembro.

 

2020

Fevereiro – 5ª coordenadora de Mulheres Trabalhadoras Rurais – Maribel Costa Moreira;

Primeira reunião da CEMTR – Santa Cruz do Sul;
8 de Março – Mulheres na Luta por Territórios Livres e Corpos Vivos (Contag)- Muitas regionais conseguiram fazer os eventos antes da Pandemia;

Maio – 1ª Videoconferência da CEMTR – Devido a Pandemia que iniciou no Brasil em março;

Junho a Novembro – 20 Anos da Marcha das Margaridas – Capacitação de Lideranças (Senar) – Regional Vale do Rio Pardo e Baixo Jacuí, Missões II, Três Passos, Missões I, Campos de Cima da Serra, Ijuí, Santa Rosa, Passo Fundo, Médio e Alto Uruguai, Fronteira, Vale do Taquari, Santa Maria, Sul, Alto Jacuí, Serra, Quarta Colônia, Vale do Caí, Serra do Alto Taquari, Alto Uruguai, Camaquã, Vale do Rio Sinos Serra, Litoral;

Julho a Novembro – Saúde Emocional e Sus e a Participação Social em Defesa da Vida;

Julho – 2ª Videoconferência da CEMTR;

Setembro – Videoconferência sobre Previdência;

Outubro – Plenária Estadual de Mulheres Trabalhadoras Rurais, realizada de forma virtual, com a participação das diretoras da FETAG-RS, coordenadoras e vice- coordenadoras;

7ª Plenária Nacional de Mulheres Trabalhadoras Rurais, que durou dois dias, e foi realizada de forma virtual;

Dezembro – Reunião virtual de encerramento das atividades.

Fontes:

Site da Contag e FETAG-RS

Anais dos Congressos da Contag e FETAG-RS

Revista das Mulheres – 1998 á 2016

40 anos de luta e conquistas – FETAG-RS – 1963 – 2003

Relatórios de Atividades – FETAG-RS

Equipe responsável
Maribel Costa Moreira – maribel@fetagrs.org.br – Diretora
Paula Rosana Fortunato – paula@fetagrs.org.br

Normativas, legislações, documentos e demais arquivos referentes a esta pasta estão disponíveis para download. Basta clicar em Menu -> downloads, e pesquisar pelo departamento correspondente ao tema.